Artigos publicados

A universidade e a formação dos médicos: reflexões humanistas a propósito do pensamento de Ortega y Gasset

Download

Artigo publicado em 07/2012. Local de publicação: Revista Brasileira de Medicina

Resumo

A obra “Missão da Universidade”, que recolhe as conferências que José Ortega y Gasset apresentou aos alunos da Universidade de Madrid em 1920, brinda uma série de considerações de palpitante atualidade e o ponto de partida para a reflexão que os autores elaboram no presente artigo sobre a formação dos médicos. O aluno de medicina dista muito de sair da faculdade completo e pronto para a profissão. Possui conhecimentos detalhados dos variados aspectos da ciência médica, porém lhe falta a capacidade de integrar as informações. E lhe falta um conhecimento vital do destinatário dessa ação médica integrada: do paciente. A pergunta que se impõe é se as faculdades de medicina estão, de fato, formando o profissional adequado para atender as demandas da sociedade. A universidade deve ser a projeção institucional do estudante, conforme o pensamento do filósofo espanhol. A educação universitária tem como objetivo ensinar uma profissão com competência, promover a pesquisa e agregar cultura – imprescindível para saber se posicionar no mundo – nos jovens estudantes. Cabe às faculdades de medicina estabelecer as prioridades do que realmente é possível ensinar ao médico durante os anos de formação, as noções imprescindíveis para ser um profissional competente: um desafio de pouco tempo perante um volume crescente de conhecimento, em que não podem ser os pesquisadores – mas sim os professores, verdadeiros formadores –, os que devem dirigir esse processo. Um processo que vai muito além de despejar conhecimentos e novidades, implica o desafio da formação integral de um profissional que será um formador de opinião: para tal é imprescindível o compromisso do professor